Navegar para Cima

Notícias

Voluntária conta sobre sua experiência no Timor Leste

Janaíne Perini ministrará aulas de português no país asiático até julho
21/02/2019
Vida Partilhada
Janaíne Perini ministrará aulas de português no país asiático até julho

​Exercer a missão onde ela é necessária é parte inerente do carisma de Champagnat. A jovem Janaíne Perini, Animadora da PJM na cidade de Santa Maria (RS), segue isso à risca, e desde janeiro está no Timor Leste para atuar como professora de português voluntária. Vivendo no país asiático desde janeiro, ela passou por um período de adaptação com lições de tetum, o dialeto local, para melhor se comunicar com os estudantes do Instituto Católico para a Formação de Professores (ICFP), onde ministra suas aulas. “A adaptação foi muito fácil", afirma. “Talvez pela cultura ser, em partes, semelhante ao Brasil, mas também todos foram muito queridos e acolhedores".

Ao mesmo tempo, a realidade do país é bastante difícil, segundo Janaíne. “Boa parte das pessoas vivem na base da subsistência", conta. “Também não se tem acesso à agua todos os dias, nem tratamento de esgoto ou destinação correta para o lixo". A ida ao Timor Leste se deu a partir de uma conversa com o Ir. Valdícer Fachi (hoje Diretor do Secretariado da Colaboração para a Missão Internacional do Instituto Marista, em Roma), que contextualizou sobre a possibilidade de realizar voluntariado interprovincial. “Disse a ele que gostaria de ir para um lugar onde precisassem de mim, então cá estou", pontua.

Com previsão de permanecer até julho, Janaíne diz que embarcou de coração aberto para o que irá vivenciar durante sua estada. Desde o convívio com os Irmãos na casa de formação, até o contato com outras realidades e a possibilidade de compartilhar conhecimentos com os alunos, tudo contribui para enriquecer a experiência. “O voluntariado foi a forma que encontrei de estar próxima a diferentes pessoas e sair da zona de conforto", explica. “É algo que julgo essencial para o crescimento pessoal e espiritual, e uma forma de relembrar o meu propósito de vida, que é estar a serviço".

Sobre o Voluntariado Marista 

Com cerca de 500 voluntários, a Rede Marista oportuniza iniciativas e experiências transformadoras nos âmbitos pessoal e social, nas quais os participantes entram em contato com distintas realidades, recebendo formação e acompanhamentos específicos. O serviço de voluntariado pode ser realizado em entidades cadastradas pela Associação do Voluntariado e da Solidariedade (Avesol) ou outra ONG, colaborando com a promoção da vida e na construção da Cultura da Solidariedade.