Navegar para Cima

Notícias

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

É nosso dever como cidadãos defender a promoção e o direto à vida em todas as suas fases
16/05/2019
Institucional
É nosso dever como cidadãos defender a promoção e o direto à vida em todas as suas fases

​​​O dia 18 de maio é marcado pela lei 9.970 como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data faz memória ao assassinato de Araceli Crespo que com apenas oito anos de idade foi violentada e a​ssassinada em 1973.

Como maristas, defendemos a promoção e o direto à vida em todas as suas fases. Infelizmente sabemos que os casos de violência contra as crianças e jovens seguem com dados alarmantes. Segundo o relatório do Disque 100, anualmente são registradas mais de 80 mil denúncias de violações contra crianças de adolescentes, sendo que elas representam 70% das vítimas de abuso sexual no país. Assista ao vídeo e saiba como estar atento na identificação deste tipo de violência:



Compromisso com a proteção da vida

Na busca pela na garantia dos diretos para crianças e jovens, desde 2012 a Rede Marista conta com o trabalho da Assessoria de Proteção à Criança e ao Adolescente. Esse é o órgão responsável pela execução das políticas de proteção da instituição e tem como objetivo promover os direitos da criança, por meio de ações de formação e conscientização, como: debates, palestras e visitas aos órgãos públicos vinculados aos órgãos legais de proteção. 

Para potencializar o olhar sobre a temática, o Centro Marista de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente da Rede Marista e a Escola de Direito da PUCRS promovem a 1ª Conferência Marista sobre Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil. O evento ocorrerá no dia 31/5, na PUCRS. As inscrições são gratuitas. Saiba mais detalhes aqui.


Como denunciar?

Qualquer suspeita de violência sexual deve ser denunciada. Conheça alguns caminhos:

  • Disque 100 (canal disponível para todo o Brasil).

  • Procure a Delegacia de Polícia Especializada ou Comum.

  • Procure o Conselho Tutelar ou os Centros de Referência em Atendimento Especializado (Creas) da sua região.

  • Você também pode ligar diretamente para a Polícia (190) ou buscar auxílio junto ao Ministério Público.​