Navegar para Cima

Notícias

Continuando a construção de pontes

Crônica do 2º dia do Capítulo Provincial
04/12/2018
Institucional
Crônica do 2º dia do Capítulo Provincial

​Uma natureza exuberante acolheu a todos com brilhante sol, verdes da flora e a harmonia dos cantos dos pássaros. O cenário era propicio a que todos se dispusessem para continuar a construir as pontes e erguer o farol. Mas isso requer fundamentos, e o primeiro deles que a assembleia está trabalhando é a memória.

O profetismo e a mística do Ir. Henri Vergès ecoou pela sala capitular motivando para um momento forte de espiritualidade. Ele nos ensina a fazer pontes como a fez entre a cultura islâmica e a cultura cristã. E por conta dessa postura evangélica sofreu o martírio.

E a memória continuou com os temas Espiritualidade e Vida Partilhada. Ouvimos o que se construiu no triênio e o que se pode pensar como desafios para o próximo triênio. Falou-se firmemente da importância da cultura do cultivo da dimensão espiritual; da importância dos centros de espiritualidade; da importância dos retiros, encontros, celebrações.  Destacou-se a importância da animação das comunidades feita diretamente pelo Provincial e/ou conselheiros. Trouxe vitalidade o Programa Cuidar da Vida, a Animação Vocacional, a formação e o Movimento Champagnat da Família Marista (MChFM). É importante continuar a dar força à Animação Vocacional (regional), acolher novas expressões do Laicato Marista. Fundamental um processo de revitalização de Irmãos e Comunidades. Acompanhar e engajar-se fortemente nos temas da Amazônia, Sínodo, esforço por uma ecologia integral. Desafios soam muitos como a comunidade ser geradora de vocações e serem fonte de vida pela espiritualidade e fraternidade.

Os Irmãos Oscar e Sylvain trouxeram mais material para solidificar os alicerces do farol e das pontes, um cimento e ferro de primeira qualidade chamando a atenção para a centralidade da Vida Religiosa Consagrada. São elementos essenciais: aprofundamento da experiência de Deus (oração, espiritualidade, silencio, escuta); estilo de vida simples; criação de lar, gerando relações autênticas, trabalho; disponibilidade global para transformar o mundo; sinal de humanidade plena; sarar as feridas; cuidar da Casa Comum.

Na caminhada como família global, não somente construir pontes e faróis, mas cada Irmão e cada comunidade ser farol e ponte. As próximas Constituições, em seus cinco capítulos, enfatizam o Ser Irmão.  A vocação de Irmão implica comunhão, partilha, fraternidade, simplicidade.

Cada tema apresentado foi dialogado nas mesas/comunidades e partilhado na grande assembleia. Com o tema Vocação de Irmão, conversou-se sobre o que me inquieta. Claro, uma ponte ou um farol não podem ter estruturas precárias, pois podem ocasionar desastres para muitos. O Irmão necessita valorizar sua vocação, vivê-la profundamente, ser um atrativo para os jovens e refletir os valores evangélicos.

A prece mariana focalizou Maria, aquela que tudo fez entre nós. Maria nos ilumina em nosso carisma e missão.  É um farol que lança luzes em nossa vida marista.

Outro pilar para sustentar o carisma e espiritualidade marista é o Laicato. A relação de comunhão Irmãos e Leigos/as é essencial. É preciso compreender e valorizar a sua vocação e seu itinerário formativo. A presença do Irmão, seu contato com Leigos/as e jovens é fundamental. Mas o acompanhamento também é importante. Assim, a vocação e o testemunho do Irmão inspiram e desafiam.

Na grande assembleia surgiram temas que merecem consideração, tais como: comunidades mistas, identidade, Laicato jovem, formação conjunta, acompanhamento, novas expressões laicais, assessores, inserção na Igreja local, envolvimento de familiares de irmãos, conhecimento do patrimônio marista, espaços na missão, missão na Amazônia, Laicato na Igreja, partilha de Leigos/as pertencentes a diversos carismas.

Os temas estudados e dialogados durante o dia constituem material para alinhavar as prioridades para o triênio.

A Eucaristia, celebrada no final da tarde, motivou fortemente os Irmãos a contemplarem a missão como um projeto de vida partilhado. A missão é itinerante, leve, compartilhada. E o Profeta Isaías desafia cada Irmão com seu carisma e missão, a construir um mundo de harmonia, uma natureza pacificada, uma ecologia integral.

Felizes com o bom andamento na construção da ponte e do farol, um numeroso grupo de Irmãos finalizou o dia com um animado jogo de futebol. ​

Irmão Marista Sebastião Ferrarini​