Navegar para Cima

Notícias

Rede Marista participa das conferências nacionais de Direitos Humanos

Em torno de 5 mil pessoas estiveram reunidas em Brasília, entre os dias 24 e 29 de abril
06/05/2016
Institucional
Em torno de 5 mil pessoas estiveram reunidas em Brasília, entre os dias 24 e 29 de abril

​Em torno de 5 mil pessoas estiveram reunidas em Brasília, entre os dias 24 e 29 de abril, para discutir os rumos da Política de Direitos Humanos, para os próximos três anos, no Brasil. Os representantes da Sociedade Civil e dos governos estaduais de todo o País dividiram-se em cinco conferências que aconteceram, de forma simultânea, no Centro de Convenções Internacional de Brasília. A Rede Marista esteve representada com Lucia Flesch, Coordenadora de Projetos Sociais do Colégio Marista São Marcelino Champagnat (Novo Hamburgo), e Luciane Escouto, da Assessoria de Comunicação Corporativa da Rede Marista.

As conferências reuniram os seguintes grupos: Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), que discutiu Política e Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes; Conselho Nacional da Pessoa Idosa, que debateu protagonismo e empoderamento da Pessoa Idosa; Conselho Nacional dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, que discutiu a proposta de criminalização da violência contra o público LGBT; Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que debateu os desafios da implementação da Política da Pessoa com Deficiência; e o Conselho Nacional de Direitos Humanos, que debateu a transversalidade dos Direitos Humanos para todos(as).

As conferências nacionais foram antecedidas por etapas municipais, estaduais e do Distrito Federal, que definiram os representantes. Durante a solenidade conjunta que abriu as etapas nacionais, foram assinados decretos importantes como a criação do Comitê do Cadastro Nacional de Inclusão da Pessoa com Deficiência,a Rede Intersetorial de Reabilitação Integral,o decreto federal que regulamenta as parcerias entre Estado e Organizações da Sociedade Civil (OSCs),o decreto que reestrutura ações de proteção aos defensores dos direitos humanos e a autorização do uso do nome social no poder público federal.