Navegar para Cima

Notícias

Missão Jovem Marista proporciona vivências junto a cooperativas de economia solidária

Formação, espiritualidade cristã e partilha são vivenciadas por jovens da PJM
15/08/2018
Vida Partilhada
Formação, espiritualidade cristã e partilha são vivenciadas por jovens da PJM

​​​Ter atitude buscando a lealdade e a coerência nas ações realizadas. Assim é possível fazer a diferença na sociedade sendo farol de esperança neste mundo turbulento. Essa é a síntese dos princípios coletivos elaborados pelos participantes da Missão Jovem Marista (MJM) que ocorreu entre os dias 24 e 27 de julho.

Realizada desde 2013, a MJM visa proporcionar aos jovens da Pastoral Juvenil Marista (PJM) ​uma experiência com grupos que estão contribuindo para a construção da Civilização do Amor. Por meio de mom​entos de formação, vivência da espiritualidade cristã, partilha e envolvimento direto com a realidade, os participantes foram convidados a refletir sobre o seu papel para a transformação da sociedade. Ao todo, 19 pessoas – entre Animadores, Assessores e Participantes da PJM – vivenciaram a experiência.

mjm01.jpg

​Durante a missão, o grupo visitou o Centro Social Marista Aparecida das Águas e participou de um diálogo com o Irmão Marista Miguel Orlandi, que contou sobre o seu envolvimento com causas sociais e sobre as iniciativas que teve para incentivar o desenvolvimento de cooperativas de economia solidária. Nos demais dias, os participantes foram divididos em grupos e conheceram a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis do Loteamento Cavalhada (Ascat), a malharia Mãos Amigas, ambas em Porto Alegre, e a Cooperbom, que atua com produção de alimentos em Viamão. 

Nesses espaços, eles desempenharam atividades de rotina das instituições, além de compreender a história e a organização de cada local. Para Milena Piana, do Colégio Marista Medianeira, a experiência possibilitou reflexão a respeito da visão de mundo que tinha antes da experiência. “No momento que sabemos que a realidade está mais próxima do que imaginamos precisamos fazer algo para mudar", avalia.  “A lição que a missão me deixou foi de que precisamos, ver, ouvir, conhecer e se inserir na realidade para sermos luz, sal e mudança".​​