Navegar para Cima

Notícias

Desenvolvimento e atuação em sinergia

Como os projetos Rede de Escolas, Rede de Economatos e Noviciado Regional têm contribuído para o desenvolvimento da Região
01/08/2018
Institucional
Como os projetos Rede de Escolas, Rede de Economatos e Noviciado Regional têm contribuído para o desenvolvimento da Região

​​​Desde a sua fundação em 2016, a Região América Sul vem desenvolvendo iniciativas para trabalhar a missão marista nos diferentes espaços de atuação. Nesta edição da News, abordamos três desses projetos, que foram discutidos e alinhados na 3ª Assembleia Regional, contextualizando-os e atualizando com os principais avanços.

Rede de Escolas e a importância de trabalhar a educação em sete países​

A formação de uma Equipe Regional de Educação tem como objetivo definir os posicionamentos das escolas da Região relacionados à visão de mercado, área de atuação, intercâmbios, inovação e qualidade na oferta acadêmica em sete países, respeitando as especificidades de cada lugar. Atualmente o projeto está em fase de implantação, buscando um modelo de atuação que contemple elementos pedagógicos, metodológicos, curriculares, pastorais, de solidariedade, defesa dos direitos, financeiros, jurídicos e de governança. Além disso, até o momento foram realizadas pesquisas de cenário e reuniões e o contato com outras Regiões.

Ao ser apresentada durante Assembleia Regional, em julho, foi destacada a necessidade urgente da Rede de Escolas em abordar aspectos de pastoral e evangelização de forma mais aprofundada. Luciano Centenaro, da Província Marista Brasil Sul-Amazônia, valoriza esses momentos de estudos prévios da iniciativa de Rede de Escolas. “Esses primeiros momentos têm sido muito significativos no intuito de reconhecer as potencialidades de cada Província e, o mesmo tempo, identificarmos os desafios existentes na criação de um modelo de Rede de Escolas que dê conta da diversidade contextual de cada realidade", afirma.

Segundo Rony Ahlfeldt, coordenador do projeto de Identificação de Especialistas e diretor do Colégio Marista Brasília Asa Sul, atuar de forma conjunta é muito positivo para o desenvolvimento da Região. Para ele, projetos como esse trazem tangibilidade à iniciativa. “É neste momento que vemos a contribuição – quando a Região deixa de ser uma abstração e passa a ser algo muito mais concreto, passa a acontecer", avalia. “Exemplo disso é o intercâmbio entre professores e diretores, que, conhecendo realidades diferentes, podem agregar muito cada um para o seu colégio".

Rede de Economatos – difundir entre as Províncias da Região boas práticas na gestão dos bens

A Rede de Economatos tem como principal objetivo fazer a gestão dos bens de forma responsável, garantindo a sustentabilidade da missão do Instituto e proporcionando a troca de experiências.  Com coordenação do Irmão Renato Silva, Ecônomo da Província Marista Brasil Centro-Norte, o grupo já realizou reuniões na Argentina, Chile e Brasil.

Atualmente são três os projetos em andamento: 1) Desenvolvimento de nova plataforma de Indicadores Domus; 2) Economia de Escala – Compras Compartilhadas e 3) Desenvolvimento de Políticas Orçamentárias.

 

Noviciado e os desafios de trabalhar o carisma marista de forma regional

Com início em fevereiro de 2017, a proposta já teve avanços significativos, a partir da implementação da etapa de Noviciado em nível regional em Cochabamba, na Bolívia. A ideia é construir uma formação para Irmãos mais internacional, na qual seja possível trabalhar a riqueza multicultural e abordar uma disponibilidade global, envolvendo temáticas que transcendam os temas da vida religiosa.

O Ir. Isidro Azpeleta, coordenador da iniciativa e integrante da Província Santa María de los Andes, acredita que a proposta regional para o Noviciado contribui para a formação dos Irmãos, assim como uma formação mais aberta e multicultural também agrega para a Região. “Sair do próprio país, desprender-se dos costumes, aprender outra língua e valorizar a riqueza dos demais são alguns sintomas que nos fazem crescer em sintonia com um projeto regional", afirma.

A integração de toda a formação está sendo pensada por uma equipe regional, que dialoga sobre as etapas de pré e pós-noviciado que foram aprovadas na Assembleia Regional.